13 de outubro de 2015 – Dia histórico para os filhos de imigrantes na Itália

BIMBI MONDO

13 de outubro de 2015 – Dia histórico para os filhos de imigrantes na Itália, a “segunda geração” ainda injustamente considerado estrangeiro.
A Câmara dos Deputados, deu a luz verde para a reforma de a cidadania italiana.
Eles votaram a favor do Partido Democrata, Área Popular (Ncd -Udc) Para a Itália – Centro Democrático, Civic Escolha e Esquerda, Ecologia e Liberdade. Contra Liga Norte e Forza Itália. O Movimento 5 Estrelas absteve-se.
O texto, que combina os princípios do Jus Soli e Jus Culturae temperado, agora vai para o Senado, e somente se não vai ser aprovadas sem alterações vai finalmente tornar-se lei.

Aqui estão os pontos principais:

  1. Crianças nascidas na Itália são italiano de nascimento, se pelo menos um dos pais tem “Carta de Soggiorno” UE a residentes de longa duração (cidadãos extraue) . Caso contrário, como as outras crianças não nascidas na Itália, mas aqui chegaram no prazo de doze anos, eles primeiro têm de participar de uma ou mais etapas de escolaridade durante pelo menos cinco anos e, se for elementar, concluir-las com sucesso.
  2. Para a aquisição da cidadania vai precisar de uma declaração de intenção apresentado por um dos pais na Cidade pela vinda de idade da criança, caso contrário, este pode apresentar entre 18 e 20 anos.
  3. Regras diferentes para meninos chegou à Itália no prazo de 18 anos de idade. Eles se tornarão italiano depois de seis anos de residência legal e, depois de ter frequentado a escola e completou um ciclo ou um curso de educação e formação profissional. Neste caso, no entanto, não vai ser um direito, mas sim uma “concessão”, e, portanto, sujeitos a uma margem de apreciação por parte do Estado.
  4. Há também uma disposição transitória para os maiores de 20 anos, mas, entretanto, ele completou as exigências da nova lei. Eles serão capazes de se tornar italianos nascidos na Itália ou chegou aqui quando eram menores de doze anos, se eles participaram na Itália durante pelo menos cinco anos ou mais ciclos escolares e ter residido “legalmente e de forma contínua nos últimos cinco anos no país.”
  5. Quem se enquadra na regra de transição terá apenas um ano, por «entrada em vigor da reforma para apresentar a declaração Município de intenção e se tornar italiano. Mas, então, tem que esperar por seis meses o Ministério do Interior dá o seu aval, depois de verificar que contra ele no passado houve recusas de cidadania, expulsões ou expulsões por motivos de segurança da República.

 

Marilena Rocha

 

Segue o video de votos na Parlamento Italiano: ->

http://www.rai.tv/dl/RaiTV/programmi/media/ContentItem-2842713b-8ba9-4fd3-aaeb-00fc0042bd38.html?popup

 

avatar

No comments yet.

Leave a Reply